quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

O mundo está ao contrário e ninguém reparou?



Olá caros leitores e leitoras. Pra quem acompanha o blog, peço desculpas pelo atraso nos novos posts, mas são por motivos maiores. Pra os que não acompanham fodam-se não faz diferença.

Hoje fui ao cinema com uma amiga e decidimos ver um filme chamado "500 dias com ela (500 days of summer)" que de cara, me pareceu um clichê romântico hollywoodiano, mas que serviu para arrancar algumas risadas de mim e da minha companheira de filme (mais ela do que eu, adimito). O filme é muito bom e me deu uma idéia de escrever um post sobre as atitudes dos personagens principais do filme

ATENÇÃO: Pra quem não viu o filme, isso pode ser um spoiler, então, pra quem não viu ainda, aconselho ler esse post após o filme.

De uns tempos pra cá, as mulheres estão tentando tomar um espaço que é de direito delas na sociedade e tentando tornar a sociedade mais igualitária no que diz respeito a direitos masculinos e femininos, o que é mais que justo. Porem, as mulheres vêm tentando se igualar com os homens em TODOS os aspectos. Vejamos um exemplo: muitas mulheres hoje em dia vêm tomando atitudes antes somente executadas pelos homens, como chamar o homem pra sair, tomar iniciativa pra beijar, pedir em namoro, pagar motel, etc...

Não vejo problema nenhum no exemplo citado acima (apesar de não segui-lo) e parece que os personagens do filme também não. O personagem principal (que vou chamá-lo carinhosamente de "pseudo-homem" ou como diria minha amiga "uma mulherzinha") mostra-se um cara altamente sem instinto masculino, sem iniciativas pra nada, que espera que a mulher (que vou chamá-la carinhosamente de "pseudo-mulher" ou "mais macho que muito macho") tome todas as iniciativas em relação a tudo no relacionamento deles. O que mais me chamou atenção no filme não foi o fato do "pseudo-homem" ser mole e frouxo, foi o fato da "pseudo-mulher" ter mais atitude e iniciativa do que o homem, e por mais que seja mera ficção, é o que vem acontecendo ultimamente.

o que as mulheres gostam (elas que me dizem...) é de homens que tenham pegada, que falem menos e façam mais, que façam elas perderem o fôlego em um beijo que suga até alma. Aquelas mãos nas costas e cintura, nem forte nem fraca, na medida. Que sussurre no ouvido, que faça ela realmente se sentir "a mulher" da historia. Tem muito homem que pensava e pensa que a mulher tem que fazer muita coisa também. Eu concordo, mas ela tem que fazer a parte dela e não a sua. Então meu caro, se você é do tipo "Tom", nosso "Pseudo-homem" da historia, é melhor abrir o olho para não terminar como o próprio.

O filme é ótimo e vale a pena assistir. O S&L garante boas gargalhadas.

P.S: Para melhor apreciação do filme, levem uma amiga que ri muito alto o filme todo enquanto todo mundo está em silencio, eu garanto, é muitoooo mais divertido. Bjs "Y"

Beijo e me liga.

"T"

4 comentários:

Júlia Lacet disse...

Sinceramente,não interpretei dessa forma que você falou não.
O que vi no filme foi uma mulher cheia de "traumas" que não dava brechas pra o Tom agir,ele pisava em ovos com ela porque não sabia como ela iria reagir.
Acho que ele fez tudo o que pôde,agiu o melhor que podia,deu todo o amor dele pra ela,e no fundo ela é só uma £¢¬³² que não soube aceitar esse amor e casou com um não vai respeitar o espaço ela(como Tom respeitou) e TOMARA faça ela sofrer muito.


Relicário =]

Júlia Lacet disse...

Ah,e o que as mulheres gostam....varia radicalmente de mulher pra mulher.

T. disse...

é, cada um tem sua opinião, mas que ele é muito mulherzinha é.

e em relaçao ao seu segundo comentario, voce como uma leitora fanatica do blog, deveria ter se lembrado que nós do blog não generalizamos, ou seja, eu nao disse que toda mulher gosta de uma coisa só.

obg pelo coment

Cleo disse...

"no fundo ela é só uma £¢¬³² que não soube aceitar esse amor e casou com um não vai respeitar o espaço ela(como Tom respeitou) e TOMARA faça ela sofrer muito..."


ainda tem gente que pensa assim.
chato.


ps: saudades de vocês, garotos.